Bacharelado em Ciência da Computação

Bacharelado em Ciência da Computação

Período: INTEGRAL
Vagas: 52 – Entrada única anual
Integralização curricular mínima: 4
Integralização curricular máxima (em anos): 8
Regime Acadêmico: Crédito

Histórico do curso na UFMT

O primeiro curso de graduação, na área de Computação, na UFMT foi criado no dia 05 de dezembro de 1990 pela Resolução CD nº 142/1990. Inicialmente, o curso foi chamado bacharelado em Computação e fazia parte do Departamento de Matemática, no Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Além disso, fixou-se em 25 (vinte e cinco), o número de vagas a serem preenchidas semestralmente, através de Concurso Vestibular Unificado, a partir do semestre letivo 1991/2.

O currículo pleno do curso de Bacharelado em Computação tinha o limite mínimo de 197 (cento e noventa e sete) créditos equivalentes a 3300 (três mil trezentos e trinta) horas a serem integralizados no mínimo de 09 (nove) e no máximo 16 (dezesseis) semestres letivos.

O Departamento de Ciência da Computação (DCC) foi criado, tendo sido desmembrado do Departamento de Matemática, e sua atuação se restringia a oferecer suporte ao recém-criado curso de Bacharelado em Ciência da Computação, bem como oferecer disciplinas introdutórias de computação para os demais cursos de graduação da Instituição.

Em 1995, o Concurso Vestibular Unificado tornou-se anual e o Curso de Ciência da Computação passou a oferecer 40 (quarenta) vagas anuais.

O curso foi originalmente criado para funcionar no período vespertino e noturno. Entretanto, no Concurso Vestibular Unificado para os anos letivos de 2002 e 2003, ofereceram o curso no período matutino e vespertino. A partir do vestibular para o ano letivo de 2004, o curso voltou a ser oferecido no período vespertino e noturno. Desde então, esse tem sido o turno de funcionamento do curso até os dias atuais.

Em 19 de fevereiro de 1998, o curso de Ciência da Computação foi reconhecido pelo MEC, segundo Portaria nº 141/MEC, publicado no Diário Oficial da União no dia 25 de fevereiro de 1998.

Em 26 de abril de 2002, segundo a Resolução CONSEPE nº 29/2002, foi excluído do currículo pleno do curso de Bacharelado em Ciência da Computação, a disciplina Estágio Supervisionado, 180 (cento e oitenta) horas, do 9º semestre do currículo em vigor naquela época, e foi incluido a disciplina Projeto de Computação, com uma carga horária de 60 (sessenta) horas, com a seguinte ementa: Desenvolvimento de um projeto de aplicação da computação no contexto atual. Estudo de casos: Papers, Projetos de Extensão e Projeto de Sistemas. A partir daí, o currículo do Curso de Ciência da Computação passou a ter uma carga horária de 3.210 (três mil duzentos e dez) horas a ser integralizado em 08 semestres.

Em 03 de maio de 2004, segundo a Resolução CONSEPE nº 32/2004, foi alterado o currículo pleno do Curso de Ciência da Computação, do Instituto de Ciências Exatas e da Terra (ICET), ficando composto de carga horária mínima de 3300 (três mil trezentas) horas, 180 (cento e oitenta) créditos teóricos e 20 (vinte) práticos, a serem integralizados em no mínimo 8 (oito) semestres letivos e, no máximo, 16 (dezesseis) semestres letivos.

Em 11 de abril de 2008, o Instituto de Computação foi criado pela Resolução CD N.º 21/2008, quando o antigo Departamento de Ciência da Computação lotado na estrutura organizacional do Instituto de Ciências Exatas e da Terra, foi desmembrado para a criação do Instituto de Computação.

O IC é responsável na UFMT pelo desenvolvimento de atividades ligadas à Ciência, Tecnologia e Inovação, manutenção administrativa e pedagógica de cursos de graduação e de pós-graduação lato sensu. E, por meio de seus professores, responsável em dar apoio ao suporte técnico, pedagógico e educacional na área de computação para os demais cursos e setores da universidade. O curso de bacharelado em Ciência da Computação tem como missão formar profissionais com visão crítica e humanística, produzir e disseminar conhecimento por meio do exercício da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão de modo a promover o desenvolvimento e a preservação da vida, baseado na visão de que a UFMT deve ser centro de excelência, reconhecida pela sua competência, e centro de referência em suas áreas de atuação.

Com relação ao corpo docente, é possível perceber que os professores possuem formação oriunda de diversos programas de pós-graduação conceituados do Brasil: diversas unidades da Universidade de São Paulo (USP) – ICMC-São Carlos, POLI-São Paulo, IFSC-São Carlos –, Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Unesp-Ilha Solteira, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Universidade do Porto, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)-Física.

Essa diversidade na formação de pós-graduação dos professores lotados no Instituto de Computação propicia que o curso de Ciência da Computação possa contar com especialistas em diversas linhas de pesquisa da área da Computação, tais como: Inteligência Artifical, Interface Humano-Computador, Segurança da Informação, Banco de Dados, Desenvolvimento de Sistemas, Engenharia de Software, Processamento de Imagens, Arquitetura de Computadores, Realidade Virtual, Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos. Fazendo com que os discentes e egressos possam contar no decorrer do curso com atividades de ensino, pesquisa, extensão e inovação numa visão pluralista da Computação.

Documentação do Curso

plugins premium WordPress

Período de Matrícula 2023/2

Atenção veteranos! Inicia hoje (13/11) o período de matrícula online para o ano letivo 2023/2.

O procedimento deve ser feito por meio do Portal Acadêmico, até o dia 15/11, conforme o Calendário 2023.