Pesquisa sobre como estão os ex-alunos do IC/UFMT

O Instituto de Computação sempre se preocupou com o futuro de seus alunos, por isso desenvolveu uma pesquisa sobre a situação atual dos ex-alunos. Além de ter informações acerca desses profissionais, essa pesquisa busca gerar indicadores que norteiem o processo de formação.

Com esse objetivo, no período de 17/08/2016 à 03/05/2017 os ex-alunos dos Cursos de Ciência da Computação (com primeira turma em 1995) e Sistemas de Informação  (com primeira turma em 2009) foram demandados a responderem um questionário acerca de sua situação profissional. A participação foi de 19% do total de alunos que frequentaram os referidos cursos, sendo que foram envolvidos tantos os que se formaram quanto os que saíram do curso sem completaram a formação. A maioria das respostas (83%) foi do curso de Ciência da Computação, por ser o curso mais antigo. Mesmo assim, consideramos que as conclusões obtidas nessa pesquisa são válidas para as duas formações.

Um aspecto relevante é se a atuação profissional está sendo na área de Tecnologia da Informação. Nesse contexto, a informação mais relevante é que a imensa maioria atua na área, com 82% envolvendo todo o conjunto. Para os formados essa proporção sobe para 90%. Valores que comprovam que a área de TI continua aquecida.

Outro aspecto importante é a distribuição geográfica de nossos ex-alunos. Eles estão atuando em todas as regiões do Brasil. Além disso, há ex-alunos trabalhando em outros países, como Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Alemanha, Holanda e Irlanda.
Esses profissionais atuam em diversos cargos, mas principalmente como analistas de sistemas, desenvolvedores e analistas de tecnologia da informação. Há também administradores de redes, professores, peritos, entre outros cargos.

Em termos de remuneração, a maioria recebe entre 5 e 15 mil reais por mês. Há quem ganhe menos de 2 mil reais (provavelmente recém-formados), mas também quem ganhe mais que 25 mil reais. Em média, um ex-aluno do IC/UFMT está ganhando R$7.504,71. Se considerarmos apenas os ex-alunos que terminaram o curso (formados) essa média sobe para R$7,859,02, enquanto que um ex-aluno sem formação está ganhando em média R$5.700,98. Ou seja, a diferença de sair do curso formado pode render quase 38% a mais no salário.

De forma geral, pode-se observar que os números da pesquisa revelam o perfil profissional e o sucesso alcançado pelos ex-alunos do IC-UFMT. Outras informações relacionadas com esta pesquisa serão divulgadas no futuro e irão nortear nosso constante processo de autoavaliação e melhorias internas que aplicamos em nossos cursos.
Coordenação: Prof. Dr. Thiago Meirelles Ventura

Postagem Relacionada